E se dinheiro não existisse?

Você pode já ter pensado que dinheiro é ruim, que a causa de todos os males é o dinheiro. Porém, e se o dinheiro não existisse? O que aconteceria se o dinheiro não existisse?

Pode até ser que pareça bom viver em um mundo sem dinheiro, em uma sociedade sem dinheiro. Principalmente, quando não entendemos como surgiu o dinheiro e por que ele existe.

A história do dinheiro é milenar e está diretamente ligada ao desenvolvimento da economia. Para entendermos como funciona a economia nos dias de hoje, precisamos antes entender como surgiu o dinheiro e todos os processos que levaram o ser humano a trocar o escambo de produtos pelo o que hoje conhecemos como dinheiro.

Mas antes de tudo, o que é escambo, como surgiu o escambo? Escambo nada mais é do que uma das primeiras interações humanas para conseguir produtos e serviços. Basicamente, em um mundo sem dinheiro, se você quer uma maçã e você só tem uma pêra para dar em troca, você precisa torcer para que o dono da maçã goste de pêras, caso contrário, você não conseguirá o que quer.

E outro problema ainda mais complexo surge, como quantificar quantas peras valem uma maçã? Agora imagina se você tem laranjas no meio, ou pães franceses, ou até mesmo computadores. Como saber quanto de cada item é necessário para comprar o outro? Difícil né? Por isso que uma sociedade sem dinheiro dificilmente consegue se desenvolver economicamente.

Para mitigar esse problema, o ser humano precisou recorrer a outros artifícios, que não o escambo.

O homem precisava de algo que fosse escasso, fácil de se transportar e que todos acreditam, confiam e querem ter. O que mais se aproximasse disso seria considerado dinheiro.

Em algumas sociedades, se utilizava sal para realizar o pagamento de bens e serviços. E é daí que vem o nome salário. Dinheiro já foi sal.

Porém, o sal não é tão fácil de se transportar e seus grãos podem ser facilmente perdidos. Por conta disso, as sociedades antigas começaram a utilizar algo inusitado, que é usado até hoje como reserva de valor, o ouro.

Não só ouro, como outros metais preciosos, começaram a ser usados pelos humanos para comprar e vender produtos e serviços. O seu transporte é muito mais fácil de ser feito, e dificilmente você deixaria sua pepita de ouro de 4kg se perder durante uma caminhada.

Entretanto, o dinheiro precisa ser confiável. Se o dono do comércio adultera a balança para parecer que o ouro do cliente é menos pesado do que de fato é, e se o cliente mistura seu ouro com outros metais menos preciosos para passar a perna no vendedor, a confiança na transação se quebra e, junto a ela, um dos princípios básicos do dinheiro é quebrado.

Por conta disso, alguns governos começaram a moldar o ouro e outros metais preciosos em formato redondo, e estampar um número e o símbolo real nessas peças. E assim foram criadas as primeiras moedas.

A moeda surgiu como uma forma de facilitar ainda mais a vida das pessoas, pois é fácil de se transportar, é confiável e é relativamente escassa.

Todavia, assim como tudo na história do dinheiro, algo mais impressionante apareceu para diminuir a dificuldade dos homens em realizar transações. A cédula de papel.

As cédulas surgiram dos depósitos bancários. Quando uma pessoa depositava seu ouro ou seus metais preciosos nos bancos, ela recebia um certificado em formato de cédula que garantia que aquela quantia pertencia ao dono do papel.

Logo, as pessoas começaram a pagar suas compras por meio desses certificados, que não passavam de cédulas de comprovante de depósito bancário dos metais preciosos. Quem detinha esse certificado, detinha o ouro, a prata e os metais preciosos dentro dos bancos.

Esses certificados, junto com as antigas moedas, deram origem ao que conhecemos como papel moeda, as famosas cédulas e moedas que usamos até hoje em dia em nossas carteiras.

Com o tempo, outras alternativas começaram a aparecer. Se você pagasse um almoço para seu bisavô utilizando um cartão de crédito, ele com certeza não entenderia nada.

Além do cartão de crédito, outras formas de dinheiro foram surgindo, como por exemplo o bitcoin, as criptomoedas em geral e até mesmo o famoso Pix pode ser considerado uma maneira diferente de lidarmos com o dinheiro.

Mas e se o dinheiro não existisse? E se a história do dinheiro nunca tivesse acontecido, e os humanos nunca tivessem passado ainda do escambo?

Bom, a verdade é que se o dinheiro ainda não existisse, ele seria criado. Porque o dinheiro nada mais é do que um catalisador de transações em prol da obtenção de mais recursos. Ele facilita a vida das pessoas, o desenvolvimento da economia e principalmente a troca de recursos entre indivíduos.

📸 Insta Breno: https://bit.ly/2SS4JZE
📸 Insta The Compass: https://www.instagram.com/thecompass.br/
👕 Roupas Mônaco: https://vilamonaco.com.br/
🎙️ Podcast JN: https://spoti.fi/2SQiMin
📺 YT Podcast JN: https://bit.ly/3cNPGb4
🐦 Twitter: https://twitter.com/brenoperrucho

You May Also Like